quarta-feira, 23 de agosto de 2017

Presidente parlamentarista

Na quinta-feira, quando ouvir o presidente Michel Temer falar que fazia um governo presidencial com características de parlamentarismo, confesso que a minha vontade foi quebrar a televisão. Pelo menos teria a sensação de dar um soco neste senhor.... que está brincando de ser presidente e apresenta na verdade, não características de parlamentarista, mais de um ditador que faz de tudo para se manter no poder, inclusive convocando as Forças Armadas para reprimir manifestação popular.
Se de fato vivêssemos num regime parlamentarista ou que pelo ao menos tivéssemos as características parlamentarista e nossos políticos, homens públicos, fossem sérios e comprometidos com o país e com o bem comum, todos renunciaram seus cargos.
Pelo menos este deveria ser o gesto de um presidente que, claramente não tem mais credibilidade para governar o país. Perde apoio a cada dia e a cada dia fica mais evidente que é um dos corruptos.
Fui contra o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff, pois vi na ação do Congresso Nacional uma ação meramente política, pois lhe faltaram articulação política e o bom senso de romper com os petistas e com as propostas políticas de poder. Se tivesse feito isto, talvez pudesse fazer um governo de coalizão, salvar seu governo e manter os avanços sociais que estão correndo risco de retroceder ao início do Século XIX.
No entanto, fui a favor de seu afastamento da presidência, pois não havia mais condições de governar. Ela havia perdido apoio no Congresso Nacional, no meio empresarial e de um grande número da população.
Vejo que o presidente Michel Temer está na mesma situação. Apesar dos empresários e grupos econômicos e os tucanos defenderem a reforma trabalhista e da previdência, não manifestam apoio ao presidente e alguns líderes destes segmentos já pediram seu afastamento da presidência.
Isolado, mantendo-se no cargo por acordos políticos que passa por salvar a pele de corruptos em troca do salvamento da sua, Temer vai governando e representando o país no exterior, cometendo gafes e dando declarações que se ficasse calado já estaria errado.
Se me perguntar se sou contra Temer, a resposta é sim. Como posso ter um presidente que não tem representatividade, que troca apoio por cargos e para salvar sua pele e de corruptos como Aécio Neves e outros, que convoca as Forças Armadas para reprimir uma manifestação popular contra reformas trabalhista e da previdência, que recebe em sua residência oficial um empresário processado e ainda com nome falso para não ser reconhecido, que diz que não fez, não falou e não usou e depois desmente sua declaração afirmando que falou, fez e usou.
Se este é o presidente que governa com características de parlamentarismo, então, seja honesto e justo consigo mesmo e renuncie.

Afinal de contas, se renunciar ao cargo de presidente, o que pode acontecer... apenas ser preso.

Nenhum comentário:

Postar um comentário